‘Estou preparando um show incrível’, adianta Pabllo Vittar sobre o Planeta Atlântida

Artista sem gênero definido. É assim que Pabllo Vittar se apresenta ao mundo. E isso vale para o de nascimento e para o artístico. Mesmo assim, quando a drag queen aparece montada, feminíssima e cantando em cima de um palco, é impossível não considerá-la uma verdadeira mulher.

Pabllo nasceu Phabullo Rodrigues da Silva, em São Luís do Maranhão. O nome artístico masculino reflete sua vontade de transgredir e revolucionar os conceitos normativos da sociedade, não só na gramática portuguesa, mas, principalmente, no viés cultural. Com 23 anos, o tempo de carreira pode ser curto – Pabllo chamou a atenção em 2015, com um clipe do EP “Open Bar” em seu canal no YouTube – mas o pouco tempo e a idade não refletem a experiência artística.

A partir daí foram participações em programas de TV – como em 2016, quando assumiu a parte musical do programa “Amor & Sexo”, da TV Globo – até a gravação de seu primeiro álbum, em 2017, chamado “Vai Passar Mal”, onde lançou sucessos como a música “K.O.”, escolhida a Melhor Música do Ano, no Prêmio Melhores do Ano, que acontece no ”Domingão do Faustão”, também da TV Globo – alías, hit que tem mais de 275 milhões de visualizações no YouTube.

E isso é só parte do sucesso. Agora em 2018, Pabllo é uma das atrações confirmadas do Planeta Atlântida, uma das mais comentadas nas redes sociais do festival. A artista se apresenta no sábado, dia 3 de fevereiro, no Palco Planeta.

A reportagem do G1 entrevistou Pabllo por e-mail e, muito empolgada, a cantora falou sobre o carinho pelos ‘VittarLovers’ gaúchos [como se entitulam os fãs da cantora nas redes sociais], seu sucesso meteórico, além do seu papel social enquanto artista e drag queen. Para os planetários, ela fez uma promessa:

“Prometo estar levando um show babado e quero ver a gente colocar aquilo pra baixo, hein?”

É a sua estreia no Planeta Atlântida. O que você conhece do festival?

Pabllo Vittar – Já acompanhei o festival nas redes sociais há um bom tempo… Sei que vou tocar no mesmo palco que a rainha Veveta [Ivete Sangalo] já cantou, além do Charlie Brown Jr. Aliás, o que mais gosto é o fato de que o festival mistura gêneros de música diferentes, isso é muito compatível comigo e com a minha música.

E qual a sua a relação com os fãs gaúchos? Nas redes sociais, grande parte dos planetários manifestou empolgação com a confirmação do seu nome no line-up.

Pabllo Vittar – AMO meus VittarLovers gaúchos! Quando soube que iriam me anunciar no line-up, acompanhei todas as redes sociais para ver os comentários deles e como seria. Estou preparando um show incrível para o público do festival.

Midiaticamente, você começou a sua carreira a partir de 2014, com participações em programas de TV. Em 2015, lançou o clipe do EP “Open Bar” e virou um sucesso instantâneo no YouTube. Mas foi em 2017 que você lançou seu primeiro álbum, “Vai Passar Mal”, e ficou conhecida dentro e fora do país. Como foi essa guinada na sua carreira?

Pabllo Vittar – Foi muito emocionante, porque me lembro ainda de estar tocando em baladas e agora estou tocando no Planeta Atlântida para muita gente, sabe? O ano de 2017 foi muito bom para mim. Tive inúmeras conquistas pessoais e profissionais, desde lançar meu álbum a fazer parcerias com pessoas que sempre admirei. Vejo que foi o resultado de muito trabalho e amor, mas ainda sim é um sonho o que estou vivendo.

.

Ainda em 2016, o público teve a oportunidade de te conhecer no programa “Amor & Sexo” da TV Globo, como vocalista da banda, substituindo o cantor Léo Jaime. Qual a importância desse momento na sua carreira?

Pabllo Vittar – Nossa, sou muito grata a toda equipe do “Amor & Sexo”, eles fizeram eu me sentir em casa. Voltando ao programa, foi muito importante, porque foi uma baita experiência dentro da TV e consegui mostrar quem eu era e a música para muita gente.

Sobre o álbum “Vai Passar Mal”, que foi lançado no seu canal no YouTube. Das 10 faixas, quatro se tornaram singles – três foram emplacados, ao mesmo tempo, no top cinco do Spotify no Brasil. Agora, em 2018, você vai lançar o quinto, chamado “Então Vai”. Como está sendo o processo de produção e divulgação desse projeto?

Pabllo Vittar – O processo de gravação, do clipe e da música, foi maravilhoso. Eu estava com o Diplo e ele é um cara que sempre admirei e acredita no meu trabalho. Estamos nos preparando para “Então Vai” ser um hit e tocar nesse Brasilzão inteiro.

Seu canal no YouTube tem quase quatro milhões de inscritos. Quase dois milhões curtiram a página no Facebook e mais de seis milhões te seguem no Instagram. Você é uma artista que praticamente “nasceu” nas plataformas digitais. Qual a importância delas na sua carreira e na sua vida como um todo?

Pabllo Vittar – As redes sociais estão e sempre estiveram muito presentes na minha vida. Lembro dos vídeos que colocava lá para ver o que as pessoas iriam achar e tudo mais. É um ótimo parâmetro para você ver o que as pessoas acham do seu trabalho, e um canal para os meus VittarLovers. Gosto de estar conectada com eles e saber como andam as coisas na cidade de cada um.

Internacionalmente, você também está com tudo. Além de gravar e ser produzida pelo norte-americano Diplo, do grupo Major Lazer, jornais estrangeiros como The New York Times e a revista Bilboard te elogiaram, além do britânico The Guardian que te categorizou como “um símbolo de resistência”. Como é pra você esse reconhecimento, tendo que lidar ainda com tantos preconceitos e dúvidas dentro do teu próprio país?

Pabllo Vittar – Eu fico muito emocionada de estar na linha de frente dessa causa e poder mostrar pro mundo o quanto o nosso trabalho, como brasileira e drag, é lindo. Sobre os preconceitos, é algo que você enfrenta em todo lugar, não adianta, mas é bonito ver que existem pessoas que estão apoiando a causa comigo.

Recentemente no programa “Altas Horas”, da TV Globo, você fez uma interpretação rápida da música “I Have Nothing”, da Whitney Houston, que impressionou muita gente, inclusive artistas como o Ed Motta, que se manifestou nas redes sociais. Por que você acha que ainda tem gente que se surpreende com o seu talento? Você vê muito questionamento quanto a sua capacidade de cantar?

Pabllo Vittar – Eu vejo as pessoas dando suas opiniões e acho isso normal, é assim que tem que ser mesmo. Eu sei o quanto me dedico estudando música, e a paixão que tenho por isso. Acredito que a repercurssão de “I Have Nothing” é um exemplo disso. Mas enfim, as pessoas se surpreendem porque foi algo que não estou tão habituada a cantar, entende?

Deixa um recado para teus fãs que estão na expectativa para te ver no Planeta Atlântida.

Pabllo Vittar – E aí galera! Mal vejo a hora de encontrar vocês e essa energia tão boa no Planeta Atlântida! Prometo estar levando um show babado e quero ver a gente colocar aquilo pra baixo, hein?

E se você quer ver a Pabllo Vittar no Planeta Atlântida 2018 e não garantiu o seu ingresso, ainda dá tempo. É só entrar no site do Planeta que lá você pode comprar online ou, se não quiser pagar taxa de conveniência, pode encontrar no site informações dos pontos de venda espalhados pelo estado.

Serviço

PLANETA ATLÂNTIDA 2018
Dias 2 e 3 de fevereiro
Sexta e sábado
SABA (Avenida Interbalneários, 413 – Centro – Praia de Atlântida – Rio Grande do Sul)
Classificação indicativa: 14 anos

Planeta nas redes

Facebook: www.facebook.com/PlanetaAtlantida/
Instagram: planetaatlantida
Twitter: @planetaatlantida

Você pode gostar...