SUV´s 2018: confira os lançamentos

Entre versões de carros conhecidos, gerações novas e modelos inéditos, a invasão dos crossovers e utilitários prometem dominar todos os segmentos e nichos. Confira algumas das principais apostas para 2018.

BMW X2
BMW X2 (Foto: Divulgação)
Pense nele como uma versão meio cupê do BMW X1. O estilo tem caimento do teto diferente, área envidraçada menor e capô alongado. Mais curto e sete centímetros mais baixo, mas ainda com 1,52 m, o modelo aposta no arrojo e acerto esportivo. A plataforma é a mesma UKL2 do X1, base compartilhada também com outros modelos do grupo BMW, incluindo o primo Mini Countryman. O porte é pouco superior aos crossovers compactos nacionais. São 4,36 metros de comprimento e 2,67 m de entre-eixos. O estilo não comprometeu muito o espaço interno para passageiros e bagagem (470 litros). A motorização ficará por conta do mesmo 2.0 turbo, capaz de gerar 192 cv. O câmbio é automático de dupla embreagem e sete marchas e a tração dianteira. Com esse conjunto, o X2 vai de zero a 100 km/h em 7,7 segundos. A maior interrogação é o preço. Fonte ligada a BMW afirma que o valor de partida será bem superior aos R$ 184.950 pedidos pelo X1, pois o objetivo é cobrir a lacuna entre ele e o X3, cuja geração atual parte de R$ 324.950.

BMW X3
Novo BMW X3 (Foto: Divulgação)
O BMW X3 já tem mais do que um pé no Brasil. O modelo já conta até com site de reservas, onde são expostas duas versões: xDrive30i X-Line 2.0 de 252 cv e M40i 3.0 de 360 cv. Mesmo o modelo “de entrada” é capaz de ir de zero a 100 km/h em 6,3 segundos, enquanto o mais potente faz o mesmo em 4,8 s, patamar mais do que respeitável para um modelo que não é feito pela divisão M. O lançamento será em março, ainda como importado, mas a produção nacional é esperada para ocorrer ainda em 2018.

Citroën Cactus
Conforme Autoesporte havia antecipado, Cactus brasileiro já terá o facelift (Foto: Divulgação)
Citroën já está finalizando todos os detalhes do F3, como é conhecido o C4 Cactus internamente. O carro brasileiro terá estilo externo parecido com o europeu, apenas as janelas traseiras serão convencionais – do tipo que deslizam. Mas o interior envolveu um redesenho bem maior, indicam fontes ligadas ao projeto. O motor 1.6 THP flex virá associado ao câmbio automático de seis marchas. O lançamento é esperado para o primeiro semestre do ano.

Chery Tiggo 2
Chery Tiggo 2 (Foto: Marcos Camargo)

Anunciada há pouco tempo, a CAOA-Chery terá uma série de novidades para 2018. A mais barata deve ser o Tiggo 2, aventureiro urbano criado sobre o Chery Celer, que sairá de linha. O motor é o 1.5 16V e o câmbio é manual de cinco marchas. Esperamos por preços abaixo de R$ 60 mil.

Chery Tiggo 5
Chery Tiggo 5x (Foto: Divulgação)
Poderiamos dizer que o Tiggo 5 é o representante do modelo original. Não ficou nada daquele jipinho que imitava o Toyota RAV4, o novo Tiggo é bem mais original. Além disso, ficou mais espaçoso, graças ao entre-eixos de 2,60 metros. A motorização evoluiu na mesma medida e se destaca pelo uso de um 1.5 turbo de 150 cv. Infelizmente, ainda não há data oficial de chegada.

Chery Tiggo 7
Tiggo 7 é baseado em plataforma moderna e tem opção de motor 1.5 turbo (Foto: Divulgação)
Depois que o Tucson começou a se despedir, o grupo CAOA-Chery terá a vantagem de contar com o Tiggo 7 para substituir o veterano na concorrida faixa abaixo dos R$ 100 mil. Além do desenho arrojado, o crossover tem como destaque o porte médio. São 4,50 metros de comprimento e 2,67 m de entre-eixos. No mercado de origem, o chinês conta com motor 1.5 turbo de 147 cv e 20,9 kgfm de torque, além de opções de câmbio manual ou automático de dupla embreagem, ambos de seis marchas. A tomar pelas propagandas de cunho tecnológico figurando o Tiggo 7, esperamos que o grupo faça justiça e traga o turbinado. Contudo, há também a opção de um 2.0 aspirado de 122 cv e 18,3 kgfm e câmbio CVT.

Ford EcoSport Freestyle 4X4
Ford EcoSport 1.5 Freestyle (Foto: Ford)
Com lançamento em janeiro, a versão Freestyle 2.0 4X4 terá apenas câmbio automático, conforme revelado por Autoesporte e confirmado pelo manual do modelo 2018. É uma bela mudança em relação ao carro pré-facelift, que não contava com opção sem pedal de embreagem. Podemos esperar por preço na faixa dos R$ 94.990, pouco abaixo do top Titanium 4X2 (R$ 96.850).

Honda CR-V (Testado)
Honda CR-V 2018 (Foto: Divulgação)
Honda começará o ano com o pé direito: o fabricante vai começar a importar o CR-V entre janeiro e fevereiro. Agora construído sobre a arquitetura do Civic de décima geração, o médio ganhou também o mesmo motor 1.5 turbo usado pela versão Touring do sedã. Ele será o grande responsável por dar o fôlego que o 2.0 aspirado de 155 cv nunca conseguiu, até porque o 1.5 turbo é um pouco mais forte que o do Civic: 190 cv e 24,5 kgfm, contra 173 cv e 22,4 kgfm. Os preços devem ficar acima dos R$ 148 mil pedidos pelo atual CR-V EXL 4X4. A nova geração também deve voltar a oferecer opções 4X2 e 4X4, além de outros níveis de acabamento. Saiba o que achamos da nova geração no teste que Autoesporte fez no México.

JAC T40 1.6 CVT
JAC T40 (Foto: )
O futuro crossover nacional terá algumas mudanças no ano que vem. A começar pela ampliação do atual motor 1.5, que passará a ser 1.6 e entregará mais torque. O carro foi escalado para iniciar a produção da nova fábrica da JAC em Goiás.

JAC T70
JAC T70 (Foto: Divulgação)
Opção mais requintada entre os crossovers da JAC, o T70 nasceu como Refine S7 na China. Graças aos 4,79 metros de comprimento e 2,80 metros de entre-eixos, há bastante espaço interno e até uma terceira fileira para duas pessoas no porta-malas. A motorização pode ser 1.5 turbo de 174 cv ou 2.0 turbo de 190 cv. Esperamos por preços tão competitivos quanto os dos crossovers menores da JAC.

Jaguar E-Pace
Jaguar E-Pace (Foto: Divulgação)
O crossover médio da Jaguar já começou a ser vendido no Brasil e chegará às lojas em março do ano que vem. Os preços ficam entre R$ 195.400 e chegam a R$ 275.900. O modelo básico tem como opção apenas o motor 2.0 turbo Ingenium de 250 cv e 37,7 kgfm, capaz de ir de zero a 100 km/h em 7 segundos e chegar aos 230 km/h, mas o R-Dynamic já conta com uma versão de 300 cv e 40,7 kgfm do mesmo propulsor, acréscimo que baixa o tempo de arrancada a 6,3 s e eleva a velocidade máxima aos 243 km/h.

Kia Stonic
Kia Stonic (Foto: Divulgação)
Ainda sem data certa definida, o Kia Stonic é parente do arrojado Hyundai Kona, mas divide plataforma também com o nacional Creta. O porte é pequeno para a classe, são apenas 4,14 metros de comprimento, no entanto, o entre-eixos é de razoáveis 2,58 m e o porta-malas leva 352 litros. Ele poderia vir com o motor 1.6 flex, mas torcemos pelo novo Kappa 1.0 de três cilindros com turbo e injeção direta, capaz de entregar 120 cv e 17,3 kgfm de torque a 1.500 rpm.A aceleração de zero a 100 km/h é cumprida em 9,9 segundos (declarados). Este propulsor será associado no futuro a um câmbio automático de dupla embreagem e sete marchas.

Lamborghini Urus
Lamborghini Urus (Foto: Divulgação)
A tomar por exemplo o Huracán Performante, a Lamborghini não costuma levar mais do que um ano para trazer um modelo lançado na Europa. Dito isso, esperamos que o SUV Urus também chegue rápido. O crossover tem motor 4.0 V8 biturbo de 650 cv e 86,6 kgfm de torque, associado a um câmbio automático convencional de oito marchas e ao mecanismo de tração integral. A arrancada de zero a 100 km/h é despachada em 3,6 segundos e a velocidade máxima vai além dos 300 km/h.

Mitsubishi Eclipse Cross (Testado)
Mitsubishi Eclipse Cross (Foto: Mitsubishi)
A essa altura você já deve saber que o Eclipse fez uma cirurgia de mudança de gênero e virou um crossover. Mas o modelo deve seduzir um público muito maior no novo formato. O modelo chegará às lojas em 2018 com a proposta de ficar entre o ASX mais caro (R$ 128.490) e o Outlander de entrada (R$ 144.990). O motor 1.5 turbo de 163 cv e 25,4 kgfm será bem melhor do que o 2.0 aspirado que equipa o ASX e o Outlander mais em conta. É um conjunto parecido com o do rival CR-V e inclui também um câmbio automático do tipo CVT para acompanhar. A tração é integral, mas há opção 4X2 no exterior. Confira o que achamos do modelo em um teste feito na Espanha.

Peugeot 2008 facelift
Peugeot 2008 (Foto: Divulgação)
Somado ao Cactus, a PSA tem outra arma para o segmento dos crossovers: o facelift do 2008. O modelo compacto ganhará estilo mais parecido com o do maior 3008, além de poder receber a opção de câmbio automático de seis marchas para o 1.6 THP flex, agora que o Citroën vai ajudá-lo a criar volume suficiente para a adaptação.

Peugeot 5008
Peugeot 5008 (Foto: Divulgação)
A Peugeot confirmou a chegada do 5008 no primeiro semestre de 2018, possivelmente no primeiro trimestre. Enquanto o 3008 tem 4,44 metros de comprimento e 2,67 metros de entre-eixos, o 5008 chega a 4,64 metros e 2,84 metros nas mesmas medidas. O porte médio-grande permitiu a inclusão de uma terceira fileira de bancos. A opção de sete lugares representa uma praticidade desejada em um modelo que já foi uma confortável minivan na geração anterior, mas se tornou um crossover na atual. A motorização ficará por conta do mesmo 1.6 THP a gasolina de 165 cv que equipa o 3008 e a faixa de preço vai circular em torno de R$ 150 mil.

Peugeot 3008 (Testado)
Peugeot 3008 Griffe (Foto: )
Vendido atualmente por R$ 142.990, o Peugeot 3008 Griffe se destaca por vir bem equipado, mas ainda fica devendo alguns itens disponíveis na Europa, exemplos do sistema de baliza automática Park Assist, câmera 360 graus Visio Park, controle de cruzeiro adaptativo, alerta de distância do carro que vai à frente e sensor de ponto cego. Diante disso, o fabricante sentiu que poderia vender uma configuração mais completa. Entre uma e outra adição, o valor final pode deixar o Peugeot 3008 mais próximo do preço pedido pelo Chevrolet Equinox Premier, comercializado a R$ 149.900. Lembre o que achamos do 3008 na nossa última avaliação.

Porsche Cayenne (Testado)
Porsche Cayenne Turbo 2018 (Foto: Divulgação)
Em sua terceira geração, o SUV da Porsche ficou ainda mais esportivo. Com a mesma plataforma do Audi Q7, o Cayenne tem estilo que até lembra um pouco o anterior, especialmente na porção dianteira, mas é inteiramente novo. O porte avantajado parece menor em movimento graças ao inédito eixo traseiro direcional. Já dirigimos a nova geração lá fora em duas versões. A mais mansa foi a S, cujo motor 2.9 V6 biturbo entrega 440 cv e 56 kgfm, o tipo de força que o leva de zero a 100 km/h em 4,9 s. Mas o que nos deixou mais emocionados foi o Turbo 4.0 V8 de 550 cv e 78,5 kgfm, capaz de repetir a prova em ínfimos 3,9 s e tocar nos 286 km/h. Pena que a estreia seja apenas no segundo semestre.

Renault Koleos – Testado
Renault Koleos (Foto: Divulgação)
Ele já circula por aqui como carro corporativo faz tempo, já foi testado por Autoesporte na França e teve estreia atrasada algumas vezes. Mas a impressão que temos é que a Renault já esteve mais empolgada com o Koleos. O projeto continua de pé, porém, sem uma data de estreia definida. Caso chegue mesmo em 2018, o crossover virá na versão Intense 2.5 aspirado de 170 cv e 23,5 kgfm, associado ao câmbio automático CVT. Segundo indica uma fonte ligada ao fabricante, a versão a ser trazida deve ser um pouco menos equipada do que a testada na França, afinal, o objetivo é dar competitividade em meio a rivais muito bem posicionados em preço, caso do Chevrolet Equinox e do Peugeot 3008.

Jeep Wrangler
Jeep Wrangler 2018 (Foto: Divulgação)
O Wrangler não tem vergonha de ser parecido com o seu avô, o venerável Willys 1941. Pelo contrário, a despeito de ter adquirido uma série de novas tecnologias, ainda continua afeito aos velhos trejeitos. É possível retirar as portas facilmente graças ao sistema de dobradiças externas, enquanto o para-brisa pode ser rebatido sobre o capô. O interior tornou-se mais refinado e aquela capota rígida ultracomplexa deu lugar a um mecanismo mais simples. Além do já conhecido motor 3.6 V6 Pentastar de 289 cv, o SUV conta com um 2.0 turbo de 271 cv. A chegada está marcada para o ano que vem e a oferta continuará a contemplar os modelos de duas e quatro portas.

Jeep Cherokee
Jeep Cherokee (Foto: Divulgação)
Perto de ser apresentado oficialmente, o Cherokee reestilizado será uma das estrelas da Chrysler no Salão de Detroit. Mudando um painel de carroceria e outro acolá, a Jeep conseguiu alterar totalmente a parte frontal. A grade tridimensional continua lá, porém, os faróis agora são convencionais e não mais divididos, algo que lhe dava um curioso jeito de SUV da Toro e entregava de onde a Fiat havia tirado a inspiração. O interior tem novos detalhes, mas a motorização 2.0 turbo será o grande destaque, indica fonte ligada ao fabricanteO lançamento no nosso mercado está previsto para o segundo semestre de 2018.

Volvo XC40 (Testado)
Volvo XC40 (Foto: Divulgação)
Embora possa ser encarado como uma versão miniaturizada dos maiores XC60 e XC90, o Volvo XC40 tem personalidade própria em alguns pontos, especialmente na curiosa coluna C. Ser inconfundivelmente sueco pode ajudá-lo em um segmento concorrido, repleto de rivais como Audi Q3, BMW X1 e Mercedes-Benz GLA. Mas o grande barato do Volvo será a tecnologia embarcada, que inclui sistemas de condução semiautônoma, definitivamente o ponto alto do nosso primeiro contato com o XC40 em Barcelona. Os preços partem de R$ 169.950 no XC40 T4 e chegam aos R$ 209.950 no T5 R-Design. O mesmo 2.0 tem duas faixas de rendimento bem diferentes: o T4 tem apenas turbo e gera 190 cv e o T5 adiciona também um compressor mecânico para entregar 254 cv.

Volkswagen T-Cross
Volkswagen T-Cross é fotogrado em testes na Finlândia (Foto: Automedia)
Agendado oficialmente para o segundo semestre de 2018, o T-Cross foi flagrado em primeira mão por Autoesporte. E já ganhou as ruas nos testes finais da motorização 1.0 TSI de 128 cv e câmbio automático de seis marchas. A previsão de preço inicial fica abaixo dos R$ 90 mil, o que deixará ainda um bom espaço em relação ao Tarek, crossover médio que será fabricado na Argentina.

Volkswagen Tiguan Allspace
Volkswagen Tiguan Allspace (Foto: Volkswagen)
Com entre-eixos maior do que a versão convencional, o Tiguan para sete passageiros chegará em 2018 e mudará o posicinamento do carro no mercado, até para não atrapalhar a vida do futuro Tarek, que pode chegar apenas em 2019 ao mercado brasileiro. Confira o que achamos do crossover médio alongado na avaliação feita no exterior.

Volkswagen Atlas
Volkswagen Atlas (Foto: Divulgação)
Ainda sem data confirmada oficialmente para o Brasil, o SUV grande também é feito sobre a plataforma MQB e pode ocupar o lugar do Touareg – embora seja mais simples. Autoesporterevelou que a VW tem planos para o Atlas e o modelo apareceu nos planos divulgados oficialmente pelo fabricante. A importação será realizada até 2019.

Você pode gostar...